28/08/16

Mais alguns filmes (só para variar)

Ultimamente tenho assistido vários filmes — até ando surpresa com a quantidade — e resolvi vir indicar alguns que merecem ser assistidos por vários motivos, mas principalmente por terem mensagens sensacionais. Afinal, dicas de filmes não são nunca demais, né?



Little Boy: conheci esse longa por causa das minhas professoras que escolheram passá-lo durante seus períodos, porque se não fosse elas confesso que é quase certo que eu não saberia de sua existência... E êta filme bom! A história se passa durante a Segunda Guerra Mundial e te deixa naquela bad complicada, mas o desfecho é surpreendente e as mensagens nas entrelinhas são incríveis.
O pequeno Pepper tem uma forte ligação com o pai, James Busbee, com quem vive aventuras fantasiosas. Quando seu irmão London é convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial, James se oferece para ir no lugar dele. A situação deixa Pepper desolado, sendo que ele ainda precisa lidar com as constantes provocações dos demais garotos por ser pequeno demais — daí o apelido de Little Boy. Disposto a trazer o pai de volta da guerra, Pepper resolve seguir uma lista de boas ações entregue pelo padre da cidade.

O Grande Hotel Budapeste: filme leve, sem pretensão alguma, mas com uma história muito bem bolada e com mensagens incríveis (também)! Não fazia ideia do que esperar da trama e confesso que não fui surpreendida, mas a sensação enquanto passava o tempo foi bem legal. E talvez isso não sirva muito como argumento para você assistir, mas fique sabendo que foi um filme indicado ao Oscar. (De algum ano, talvez do ano passado, mas aí já não tenho certeza).
No período entre as duas guerras mundiais, o famoso gerente de um hotel europeu conhece um jovem empregado e os dois tornam-se melhores amigos. Entre as aventuras vividas pelos dois, constam o roubo de um famoso quadro do Renascimento, a batalha pela grande fortuna de uma família e as transformações históricas durante a primeira metade do século XX.

Annie: assisti por acaso, também. E foi só porque sabia que esse era a adaptação da história de um livro de mesmo nome que, por acaso, eu também sabia que não iria comprar tão cedo. E apesar de ser um musical e isso ser bem chato na maioria do tempo, a história é tão legal e tão bonita que assistiria esse filme outras vezes sem pestanejar,
Annie é uma jovem órfã que vive em um orfanato comandado com mão de ferro pela senhora Hannigan. Sua vida muda ao ser escolhida para passar alguns dias na mansão de um milionário político, onde acaba fazendo amizade com seus funcionários e sendo usada para fins eleitorais.
Enfim, são três filmes com ensinamentos bem bonitos e histórias incríveis. Certamente valem cada segundo assistido. :) (As sinopses foram retiradas do site Adoro Cinema)

12/08/16

Tempo que clama


Queria mais tempo para amar, mas já amo demais
Queria mais tempo...
Pra aproveitar. Pra viver
Mais tempo para ser eu
Mais tempo para mudar
Mais tempo para ajudar

[...]

Mais tempo para não pensar, porque já penso demais.

01/06/16

Sopram-lhe os ventos, desejos...


Observo ao longe uma criança soprar bolhas de sabão da janela de um carro. Os tamanhos variam, e a cada sopro uma nova quantidade, não só de bolhas, mas também de realizações. Que encantam a rua pacata, que iluminam nossos olhos e que nos mostram a verdadeira beleza da vida.

E naquelas bolhas de realizações, desejos... Sonhos. Inocência. Brincadeira. Mas nos olhos de quem observa, o trânsito se torna quieto, o som das buzinas se dispersa no ar e há só bolhas. De desejos, sonhos... Bolhas que já fugiram da realidade e espalham sorrisos por aí, comemorando plenamente por terem sido libertadas pelo sopro de uma criança feliz.
»
© Leve como a brisa - 2016. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo