07/07/2013

Como um porto seguro...



E quando tudo está ruim, tudo pode piorar, e então o seu único refúgio é o amor...

"Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas... e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio."

Quando olhei o filme, achei que seria apenas mais um na minha lista de filmes assistidos em 2013 (cuja lista tento guardar na minha cabeça, por enquanto). Mas de certa forma, estava errada. O filme é bem longo, o que faz a pessoa não ter muitas expectativas desde o início. O desenvolvimento do mesmo é bem lento, quase duas horas de filme e o interessante mesmo se desvenda apenas em alguns minutos antes que ele termine. Não posso falar nada além de: - Surpreendentemente incrível! -

No final, eu fiquei com aquela cara de "oh, my god" porquê ainda não havia me caído a ficha (ou havia e eu não tinha percebido) e fiquei boquiaberta. No meio da madrugada, minha irmã se perdeu nas lágrimas e se afogou no próprio soluço, e olha que nem estou fazendo drama... Talvez eu seja insensível demais por não ter derramado nem uma lágrima sequer, ou talvez seja apenas mais uma esquisita no mundo. 

O filme, literalmente, vale cada segundo. Suas quase duas horas cansam bastante, mas um esforço para ver algo realmente muito bom nunca é demais.  Já viram o filme? E eu sou a única insensível que não chora em filmes, nem em livros? Um porto seguro - quando o amor é seu único refúgio! - de fato, é emocionante (não no caso da esquisita aqui) para todas as pessoas.

8 comentários:

  1. Lindo texto! Seguindo. http://pecadosfeminino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu já vi o filme e também não consegui chorar. E o final é surpreendente MESMO! hahahaha
    Ótimo post, foi a resenha mais poética que eu já li :3

    ResponderExcluir
  3. Esse filme está na minha lista, quero muito assistir, amo uma boa estória romatica ♥
    Seu blog é muito lindo, amei, beijinhos.
    http://caentrenos-blog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha! Não curto muito Nicholas Sparks nem filmes/livros de romance, mas pelo que voc^
    e disse me pareceu interessante :D
    Beijos!

    PiinkCookie.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
  5. Ahhhhhhhhhhh quero muito assistir!!! Eu sou apaixonada pelo Querido John... é do Sparks tb, né??

    Bjinhos
    Ju
    asbesteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. OHHH eu vou ver! Provavelmente vou ficar como sua irmã, eu choro com qualquer coisa assim, claro, que boa.
    Beijos.

    Tranquila como Esquila

    ResponderExcluir
  7. AAAwn, que lindo!! Amei <3
    Muito perfeito! *o*

    *Aviso* Se eu não sigo seu blog, me avise que eu sigo depois pois esse computador está dando erro na hora de seguir, então, estou curtindo as fan pages, mas eu vou seguir depois!

    Batom de Framboesa

    ResponderExcluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo