06/08/2013

Aonde se esconde o amor?


Como uma boa detalhista não posso deixar passar aqueles sorrisos bobos em um dia e no outro várias lágrimas que de bobas não tem nada. Acontece todo dia: o garoto diz que ama a garota mas nunca acabam ficando um mês juntos e firmes. Dizem que é amor aqui, amor ali, mas na verdade de amor não tem absolutamente nada. Tudo bem que eu não tenho nada a ver com isso e que essas decepções não amorosas na minha escola acontecem quase toda semana, mas como sou uma boa detalhista reparo logo nos primeiros erros e já sei que a história não vai dar certo logo de cara.

Andam de mãos dadas, disfarçam os olhares, ficam sem graça mas nunca dizem uma palavra sincera, (se é que são sinceras) na verdade tudo acontece por meio da internet. O pedido de namoro, o lugar da ficada,  e mais algumas palavras bônus. Depois eu falo isso pra minhas amigas e quem é a pessimista? Claro que sou eu que não acredito que uma história de colegial pode terminar muito bem (mas na verdade acaba muito mal). Mas porquê essas pessoas chamam isso de amor? E o sentido, cadê? Não tem, é claro. Acho que a palavra amor está sendo usada igualmente como a palavra recalque. No mundo de hoje, ou tudo é amor, ou tudo é recalque. Queria realmente saber aonde é que está o amor verdadeiro daqueles tempos atrás em que meus pais se conheceram e que fez meus avós se casarem.

Parece que não é só o Kinder Ovo que aumentou de preço de uns tempos para cá. E ah, claro que existe amor entre família e amor até entre amigos, mas aonde foi aquele amor apaixonante que contagiava tudo e todos? Aquele amor que ia de uma simples cantada para o alto de uma roda-gigante como nos filmes antigos? O mundo é todo atrapalhado, eu sei, e as coisas se atrapalham ainda mais na minha cabeça.

Mas a questão é: aonde se esconde aquele amor verdadeiro? 

12 comentários:

  1. Amei o texto <3 tô lendo tudo o que posso do blog agora!
    Já segui, flor!
    Beijao

    http://pedrasnaminhajanela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mudei até de música pra combinar com o texto ASUAHUSHUAHSSHAS
    Lindo demais, perfeito... Realmente, 'onde se esconde aquele amor verdadeiro?'
    So... nhaac com muito glacée!
    Bonjour, Une Glacée ♥ | Vem viajar comigo!

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto! Falou tudo... Essa talvez seja uma questão que nunca seja revelada... Beijos
    pandalland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Texto lindo, adorei.
    http://theworldoflena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ah, como me identifiquei com suas opiniões... talvez seja porque eu também sou boa detalhista, ou a verdade inegável é que, por mais que eu banque a durona, sou uma romântica incorrigível. Daquele tipo que chora nos finais felizes de filmes e livros, com uma panela de brigadeiro vazia do lado, no sofá. E sabe, como eu me irrito com esse lance de as pessoas (digo porque já passei por isso) quererem combinar tudo pela internet! Cadê a "magia" disso? Cadê os olhares calorosos, as palavras sinceras ditas não por dígitos resumidos, e sim pelo coração?

    Ok, me empolguei. Acho que deu pra sacar que adorei seu texto!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  6. Gostei do texto. De vez em quando eu me pego pensando nas mesmas coisas. A questão é a banalização do que é bonito, de modo que qualquer coisa se torna digna de amar, sendo que o amor vai muito além de um sentimento ou uma palavra.
    xoxo, Nicolle

    Dias e Flores
    Fan page Dias e Flores

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante do texto! É bom e agoniante procurar pelo verdadeiro amor. Mas ele existe, é só ter paciência.
    Beeijo

    marinaalessandra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Amei o texto, as vezes fico pensando sobre isso e me pergunto varias vezes.. Seguindo aqui segue também?
    coff-cake.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Adorei o post de hoje, minha linda! Gosto super do seu blog. <3

    >>Visite o Blog<<
    - xoxo –

    ResponderExcluir
  10. Exatamente, o amor esta sumindo aos poucos e ninguém percebe. Hoje em dia as pessoas namoram para matar a carência, se beijam e logo já estão se casando, e passam cerca de uma vida inteira sem conhecer o prazer de amar e ser amado. A frase "eu te amo" hoje soa como um "bom dia" ou sei lá... É triste :(( Mas quem sabe um dia a gente aprende né, e damos valor ao que realmente merece

    ResponderExcluir
  11. Noooossa, como o blog ta demais!!!
    me lembro que a primeira vez que entrei aqui, haviam apenas 3 ou 4 postagens. Nunca mais entrei porque não lembrava a URL do blog, e nessa mania que apagar o meu histórico todo dia, aí que eu não conseguia mesmo encontrar. Dando uma passada lá pelo blog da Larissa, o Jeito Único vi um paragrafo que ela compartilhou, e quando cliquei no link, vim parar aqui... Que delicia *-* e é claro que já to seguindo né?! Não quero mais te perder de vista u.u
    Sobre o post, me fez refletir, e mais uma vez cheguei a conclusão que sou uma "amante à moda antiga", quero dizer que prefiro aquele amor sincero que diz as coisas olhando nos olhos, e que se sente quando está perto e não quando espera a outra pessoa terminar de digitar. Prefiro ouvir um "eu te amo" do que ler. Prefiro saber que é real, do simplesmente achar que é. "Onde é que o amor está?" haha'
    Beijos doces para ti :*
    Brigadeiro com Suspiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda de volta, amore! Fico tão feliz quando pessoas que acompanhavam o blog antigamente voltam haha. Que bom que gostou do texto, foi exatamente isso que eu quis transmitir! Beijos.

      Excluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo