19/05/2014

Todo Dia de David Levithan

Todo dia é um livro um tanto quanto diferente... mais até do que eu imaginava. Diferente porque nós não temos apenas um protagonista fixo, e sim vários. Trata-se de o A, uma pessoa que acorda todos os dias no corpo de outro alguém.  Dia ele é gordo, magro, dia ele é menina, menino, dia ele é feio, bonito, dia ele tem várias coisas a fazer e dia ele simplesmente dorme. Essa é a vida de A: o personagem não tem um rumo definido.

Desde que ele nasceu ele é assim. Nunca teve pais de verdade, nunca teve uma família de verdade e nunca nem sonhou em viver na mesma casa todos os dias. Nunca. Atualmente ele tem dezesseis anos e a primeira coisa que faz ao acordar é descobrir imediatamente quem ele é. Acessar as informações principais – ver se a pele do braço é clara ou escura, se o cabelo é comprido ou curto, se é garoto ou garota – como o personagem mesmo diz.

Só que tudo está prestes a mudar: no dia 5.994 ele acorda no corpo de Justin. E ele vai viver a vida de Justin... E ele conhece a namorada de Justin... E, infelizmente, ele percebe que Justin na verdade é um canalha e que trata Rhiannon, a namorada, muito, muito mal.

O A, então, a faz ter um dos melhores dias de sua vida; a leva para a praia, ambos matam aula e cantam músicas juntos, conversam, fazem coisas idiotas e tem um dia normal, sem brigas. Sem discussões. Sem lágrimas. Porém, o que o protagonista não esperava, era que ele iria se apaixonar pela namorada de Justin e que, infelizmente, poderia nunca mais vê-la, já que a cada dia acordava em cidades diferentes. Em corpos diferentes. Em vidas diferentes.

O que eu posso dizer do livro é que eu realmente gostei da leitura, mas algumas coisas das quais eu tinha dúvida não foram solucionadas no final, o que, sinceramente, acabou me decepcionando um pouco. A história, o enredo, a caracterização dos personagens, a narrativa, tudo isso teve um ótimo desenvolvimento, um mistério um tanto oculto que infelizmente não foi resolvido.

No entanto, o livro nos ensina muitas coisas; nos mostra o real valor de uma família á qual A não tem, nos faz ver como é a vida entre as pessoas de diversas classes sociais, nos faz enxergar, também, como é a vida de gays e lésbicas, o quanto de preconceito que eles sofrem e até quanto eles podem aguentar.  Ele não é o tipo de livro impactante e emocionante, mas se pararmos para pensar, ele pode nos fazer refletir um bom pouco. É uma história simples, porém é muito bem desenvolvida, única e diferente, e tal como o comentário na capa do livro diz, ela é“dolorosamente honesta”.

Editora: Galera
Páginas: 277
ISBN: 9788501099518

5 comentários:

  1. Parece ser bem interessante, pois achei bem diferente. Que mistério, eim? Gostei bastante da resenha, é simples mais passou o que eu preciso para querer ler o livro!

    Beijos, INconvencional!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, fiquei com muita vontade de ler esse livro, de verdade!
    Parece ser bem criativo e diferente mesmo, legal!
    Ótima resenha =)
    Beijos!

    www.entorpecendo.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não conhecia o livro, as vezes é bom ler livros que nós ajudar refletir. A sua resenha ficou muito boa.<3
    Beijos
    www.dosedeilusao.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu quero tanto ler este livro, eu vi uma resenha dele no meu vlog literário favorito e eles disseram que é um livro ótimo e que vale muito a pena ler ele. Entendi o que não lhe agradou, eu também fico decepcionada quando isso acontece T.T
    Enfim, ótima resenha ♥
    Beijos - Not Found

    ResponderExcluir
  5. Nao curto muito livros assim, mas enfim, parece interessante !

    Beeeeeeeijos, te espero no meu blog ♥
    http://www.paaradateen.com/2014/04/o-dia-em-que-fiz-15-anos.html
    http://www.fb.com/PAARADATEEN

    ResponderExcluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo