24/06/2014

Tic Tac... Tic Tac...


A chuva antes fina, já alagava as ruas da cidade. Os relâmpagos antes inexistentes, agora clareavam o céu durante a noite. E pelas ruas, caminhava apressada.  Os sapatos de festa, agora entre as poças d´água, já tiveram dias melhores. O vestido caro, antes volumoso, agora estava ensopado e metade de sua elegância já havia ido embora fazia tempo...

Comigo, além de um sentimento de raiva e medo, carregava um guarda-chuva. O tempo não colaborava e o sol já ameaçava aparecer... O barulho das gotas da chuva ainda era forte, o vento não sossegava e os relâmpagos continuavam a aparecer... O guarda-chuva resolveu me largar de mão e o celular não tinha sinal... Parei, então, na porta de uma loja, onde, aparentemente, conseguiria me abrigar até a chuva passar.

Passado alguns minutos, alguém disse olá. Assustada, olhei para os lados e não havia ninguém.

- Aqui dentro – falou uma voz rouca, de maneira curta e grossa.

Olhei para trás e lá havia uma pequena loja de artigos antigos. Relógios, bússolas, máquinas e telefones. Tudo meramente organizado.

- O tempo deixou você na mão?

Concordei com a cabeça, recuando para mais longe.

- Entre na loja. O tempo parece não querer lhe dar trégua.

Com passos silenciosos e moderados, entrei na loja. Já havia sido roubada, o vestido já não iria poder mais ser usado e eu estava tremendo de frio. Pelo visto, não teria nada a perder.

- Acho que tenho uma coisa para você – falou o homem, que agora, com melhor nitidez, era um jovem senhor. De cabelo grisalho, óculos bico de garrafa e com uma bengala marfim. Logo ele interrompeu meus pensamentos novamente, entregando-me um relógio antigo.

- Esse é para cuidar o tempo... As horas... Os minutos... Os segundos... Pensar antes de fazer as coisas...

- Hã?

- Ande, minha jovem. O sol já está raiando. Eu aceito ficar com o troco, já que a senhora insiste. Agora vá e cuide desse artigo. Não deixe ninguém o tocar, e nem ouse deixá-lo cair.

E, para a minha surpresa, ao virar-me para trás, o tempo havia mudado completamente: o sol já estava brilhando, o clima estava fresco e as calçadas estavam limpas e secas. Apertei o relógio com força e, num piscar de olhos, tudo ficou mais lento. Soltei. Tudo voltou ao normal. Apertei o objeto mais uma vez e tudo parecia estar em câmera lenta. Mas que diabos...

11 comentários:

  1. Gente, eu adorei o texto ♥ (Eu juro que eu li, não to comentando adorei o texto igual a quase todo mundo) Eu não sei o que dizer mais, klajjsakljs
    Beijão | Not Found

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, você escreve muito bem. Fiquei interessada pela história, curti muito! Segundo: ONDE EU ARRUMO UM ARTIGO DESSE? hahaha. Por favor, resolveria todos nossos problemas, controlar o tempo desse jeito. Solução da vida <333

    http://sabetipoassim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não tenho uma resposta para a sua pergunta; portanto, quando descobrir e se descobrir, não deixe de me contar! Também ando precisando de algo que pare o tempo... Beijos!

      Excluir
  3. Lindo o seu texto, comece logo a escrever um livro fofa... Amei! :D

    http://rosaachiiclete.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. no momento em que o velhinho apareceu eu sabia que era um conto de fantasia. e adorei. o relógio mudando o tempo-clima. haha. o tempo medido em horas e o tempo medido em sitação climática. gostei. e sempre que aparece uma pessoa de idade - do nada - numa história é para dizer algum enigma. haha

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante do texto, hehe. Você escreve muito bem! →Meninas Quase Invisíveis

    ResponderExcluir
  6. Vai ter continuação? Ah, por favor, por favor, por favor, diz que sim! Histórias com toque de mistério me seduzem, e mesmo que muitas delas, como esta, já fiquem muito bem finalizadas com uma questão pairando no ar (no caso, a pergunta sobre o relógio: ele era um tipo de metáfora ou o objeto era mágico mesmo?), sempre fica aquele gostinho de "quero mais"...

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não havia pensado nisso ainda, mas a ideia é boa; ás vezes, eu mesma fico me perguntando que raios de relógio é esse e se ele poderia ser capaz de fazer algo a mais... Portanto, o conto pode sim ter uma continuação! Beijos.

      Excluir
  7. Gente, que legal! Adorei o texto todo! Muito bem escrito!
    Achei legal a frase "se expressou através das palavras..."
    Beijos e fique com Deus!
    Batom de Framboesa

    ResponderExcluir
  8. Que texto legal, adorei! Você escreve super bem, no começo eu achei que seria algo sobre amor, mas amei o pequeno conto de fantasia :) Seguindo seu blog, amei ele!
    Beijos,
    poderosascomsalto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante do seu texto.Não deixe de escrever ein!
    Bjjj

    ResponderExcluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo