05/07/2014

Momentos que vem e que vão

Quando criei o blog, a única coisa que eu gostava da fazer na época era sentir a brisa balançar meus cabelos de forma que, mesmo anoitecendo, eu poderia ficar horas no pátio de casa só para sentir essa sensação. Não é à toa, portanto, que o blog no português quer dizer “leve como a brisa”.

Porém, de uns tempos para cá, com os estudos e diversos afazeres, fica difícil tirar um tempo do dia para apreciar tal vento, de forma que essa ação, que antes era rotina, acabou ficando um tanto esquecida por mim. No entanto, acabei-me lembrando da dita cuja dias atrás, quando o ar bateu no meu rosto e junto me trouxe várias lembranças de uma época que, apesar de ter me marcado muito, acabei deixando algumas vezes fora dos meus planos: a tal da infância.

É engraçado como a gente muda da água para o vinho em tão pouco tempo. E não é só a gente que muda; são nossos familiares, nossos gostos e todo o contexto responsável pela visão que temos do mundo. Quisera eu, vivenciar esses tempos! Tempos em que eu tinha muito mais pessoas legais perto de mim que hoje já se foram.

Quando me referi ás pessoas, quis me referir tanto aos meus avós que morreram cedo quanto aos milhares de amigos que tinha na vizinhança e que hoje nem sei onde estão. Vez ou outra encontro um na rua e reconheço-o, mas a pessoa nem se lembra mais de mim. Normal. Os tempos de brincadeiras foram a uns cinco anos atrás, talvez seis ou sete.

Acontece que as épocas de nossas vidas são para serem vividas de uma só vez. De um só jeito. E que, apesar de que a gente sinta saudade, que a gente deseje que esses tempos voltem, devemos aprender com esses momentos. Momentos que vem e que vão. Devemos tentar fazer os bons momentos durarem uma eternidade para que, quando forem, eles nos marquem de um jeito desigual.


Da infância, eu não sinto saudade das brincadeiras que eu fazia com minha irmã, meus primos, meus pais, meus amigos, até por que eu continuo fazendo tais brincadeiras. Eu não sinto saudade daquela despreocupação com o dever de casa que hoje muitas vezes chega a assombrar nossos pensamentos. Não. Eu sinto saudade das pessoas; das risadas á toa, dos tombos e dos machucados de todos os dias...

Portanto, acho que se fizermos o nosso melhor hoje, se fizermos o nosso melhor amanhã e todos os dias que temos pela frente, essas saudades poderão ser eternizadas para sempre. Poderão ser guardadas em um lugar que só a gente conhece e que ninguém conseguirá tirar. Poderão sair para passear, poderão ser esquecidas, poderão ser relembradas, poderão ser até repassadas, mas elas sempre irão existir dentro da gente. 

7 comentários:

  1. Caramba!
    Adorei o texto, muito lindoo.. tipo, me identifiquei muito.. otimas paalavras !
    Realmente, vamos viver a vida hoje.

    Já conhece o meu blog? Espero sua visitinha ok?! Ahh e se puder, dá um like na minha fanpage pra ajudar na minha meta ... Beeeeijos, ♥

    http://www.paaradateen.com
    http://www.facebook.com/PAARADATEEN

    ResponderExcluir
  2. Moça, que texto lindo é esse? Pelo amor. Me deixou até meio "depressiva" hahahah, sério mesmo ADOREI! Você escreve super bem. E ah, não conhecia aqui mas gostei bastante do blog, já segui e pretendo voltar mais vezes. Lindo demais esse lay ♡

    viverserfeliz-renata.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Se você parar pra pensar, tanta coisa passou pela gente - tantas pessoas passaram pela nossa vida e foram embora -, que dá até uma depressão D:
    Mas é sempre assim - o amanhã sempre vai carecer de algo do ontem, mas se ficarmos presos a isso, viveremos na eterna melancolia. O segredo é fazer o melhor possível do hoje.

    Beijos,
    Degradê Invisível

    ResponderExcluir
  4. Parabéns moça! Escreve super bem! Hj com 18 anos, vejo que a melhorfase da minha vida passou sem eu perceber, a minha infancia! Sinto saudades sim da preocupação dos deveres de casa, meu unico medo naquela epoca era a professora brigar comigo por isso, além de ter outras saudades também... Seguindo seu blog, ele é LINDO, vc sabe disso né kkk
    Vem me visitar, se gostar segue também!
    bjokas

    http://domeujeito100.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ta aí um texto que descreve tudo que minha melhor amiga e eu estávamos conversando ontem. Também sou dessas pessoas que sentem mesmo, é falta das pessoas que viviam comigo e não, necessariamente, dos momentos. Enfim, estou apaixonada pelas palavras descritas neste texto. <3

    http://posrealidade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Adorei esse texto, eu penso exatamente assim e você conseguiu transmitir com tanta leveza o que eu penso, é incrível! Esse seu texto me fez revirar um baú de memorias que eu já tinha esquecido, rs. →Meninas Quase Invisíveis

    ResponderExcluir
  7. Eu sinceramente ameeeei o texto. Ficou perfeito, você escreve de um jeitinho tao unico, como nunca tinha visto. Juro que quando eu comecei a ler o texto achei que era uma despedida, eu já ia ficar muito triste, serio, o blog é lind. Sei que da saudade da época em queessa rede era pequenininha, também tenho saudades disso, eu ficava toda hora indo ver se tinha um novo comentario kkkkkkkkk.
    Concordo com você, precisamos viver o hoje para guardarmos as boas lembranças, se nao vivermos não teremos as lembranças otimas.
    Beijooooos ♥♥
    Http://www.shake-de-morango.blogspot.com

    ResponderExcluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo