16/11/2014

Procura-se um marido, Carina Rissi


Alicia é a protagonista da vez; ela tem vinte e quatro anos e perdeu os pais quando tinha cinco anos de idade em um atentado terrorista. Desde então ela vive com o seu avô, Narciso  que, além de empresário, é multimilionário.

Acontece que seu avô acaba falecendo repentinamente e Alicia fica, como é de se esperar, deprimida. E um pouco mais louca do que ela já era. Sabe por quê? Porque bem, parece que seu Narciso a excluiu do testamento, deixando-a apenas com um emprego vitalício em uma de suas empresas. Ele alegou que ela não tinha maturidade suficiente para administrar tal dinheiro e declarou que a herança, portanto, só será liberada quando ela estiver casada por um ano com um bom homem. 

Depois de ficar de saco cheio do trabalho, Alicia decide colocar um anúncio no jornal com o seguinte título: aluga-se um marido. Nele, ela estabelece os seus critérios e fala que o casamento tem que durar um ano e, quando o prazo chegar ao fim, o tal homem será recompensado generosamente.



A partir desse ponto a história se desenvolve loucamente, contanto com partes cômicas, dramáticas e desesperadoras. Além de todo o espírito das personagens, é claro.

Alicia é uma pessoa meio fora de si e que faz as coisas muitas vezes sem pensar, de forma que em determinadas partes do livro a leitura fica mais do que engraçada. Nunca havia lido nada da autora e acho que por não ter mergulhado de cabeça antes de começar a leitura, “Procura-se um marido” acabou me surpreendeu bastante. A leitura é leve e flui de uma forma maravilhosa, tendo conquistado, assim, o meu voto de confiança e a minha ânsia para ler os outros livros que a autora já publicou.

Editora: Verus
Páginas: 474
ISBN: 9788576861980

4 comentários:

  1. qual câmera você usa?

    ResponderExcluir
  2. Suas resenhas estão cada vez melhores, Natália (assim como seus layouts, já que o atual é simplesmente perfeito)! Fiquei com vontade de ler o livro indicado, já que ele parece conter o tipo de história que cativa e nos faz devorá-lo e pouco tempo...

    Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar do número de páginas ser relativamente grande, acontece isso mesmo que você falou: a cada página da história ficamos ainda mais envolvidos. E que bom que gostou das mudanças daqui, Lari!

      Excluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo