21/12/2015

No limite

O meu limite é a consciência. O seu, a adrenalina. O nosso, o medo. Limites que vão e que vêm. Limites que não param, pensam e nem falam. Limites que atormentam, ajudam e matam.

Limites que enfraquecem.

Limites que às vezes nem existem...

Limites que não são a consciência, nem a adrenalina e tampouco o medo: limites que não passam de nós mesmos          

        Acompanhe nas redes sociais: Facebook | Bloglovin | WeHeartIt | Instagram | Google + 

7 comentários:

  1. (...) Limites que são apenas limites. Gostei haha! (:
    http://16primaverasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Mini texto mais perfeito que descreve tudo!
    Limites ás vezes não tem limite, nos deixam felizes, com toda a adrenalina, não falam, não pensam, apenas são nós! ^^
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  3. Gostei! É a mais pura verdade. Nossos limites são aqueles que não passam de nós mesmos, já que está lidando diretamente com a consciência né?

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  4. Somos nossos maiores inimigos!
    Texto curto, mas objetivo e cheio de significado!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ultimamente os limites só tem me atormentado e é um saco! gostei do seu blog ♥

    ResponderExcluir
  6. "Limites que não passam de nós mesmos" nossa adorei essa frase, ás vezes nós mesmos que nos impedimos de fazer as coisas que queremos, né? Gostei muito do texto!
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir

« »
© Leve como a brisa - 2017. Todos os direitos reservados. Design e conteúdo por Natália Pacheco. Tecnologia do Blogger. imagem-logo imagem-logo imagem-logo